14.04.2021

A produção global de soja certificada RTRS continua em pleno crescimento

A produção global de soja certificada RTRS continua em pleno crescimento

A produção de soja certificada RTRS segue em pleno crescimento ao redor do mundo. Com muito esforço, apesar da pandemia, a agricultura consegue se sobressair. O balanço do ano passado comprova essa tendência. Em 2020, o setor produziu 4,6 milhões de toneladas em uma área de mais de 1.266.000 hectares, enquanto em 2019, o resultado fechado foi de 4 milhões de grãos certificados colhidos.

A expressiva alta de aproximadamente 20% reforça que a produção sustentável vem ganhando espaço e destaque, tornando-se um pilar estratégico no panorama global de grãos. “O mercado da soja certificada tem avançado a cada ano em novos países e esse crescimento é a prova disso. A sustentabilidade combinada com a rastreabilidade de toda a cadeia produtiva são a chave para números tão relevantes”, enfatiza Cid Sanches, consultor externo da RTRS no Brasil.

Em 2020, o Brasil encabeçou a lista dos países com maior produção de soja certificada, com aproximadamente 3,7 milhões de toneladas. Outros países com relevância no setor são: Paraguai, Argentina e Uruguai na América Latina que totalizam 248.000 hectares e 774.000 toneladas, e China e Índia no continente asiático, que somam 41.527 hectares e 102.156 toneladas; destacando-se na Ásia a certificação de grupo que promove a produção sustentável de pequenos e médios produtores de soja proprietários de, em média, entre 2 e 3 hectares na Índia e de 3.000 hectares aproximadamente na China.

Nesse contexto, é preciso destacar que no último trimestre de 2020, onze novos produtores certificaram sua produção no Brasil e na Argentina pela primeira vez, somando 286.588 toneladas de grãos certificados.

Os grandes destaques na Argentina são Cosufi SA que produz mais de 49.590 toneladas em 12.744 hectares, na sequência aparecem a Ledesma com uma produção aproximada de 24 mil toneladas de grãos certificados. Por outro lado, a empresa de origem holandesa com estabelecimentos na província de Entre Rios, Salentein Argentina BV, destaca-se por suas 8.214 toneladas de produção em uma superfície de 3.184 hectares. O total, em 2020 foram 40.436 hectares e 141.276 toneladas certificadas pela primeira vez na Argentina.

O grande destaque entre os novos produtores certificados no Brasil fica por conta do Grupo Hervalense, que produz mais de 90 mil toneladas de soja certificada em uma área de 23.709 hectares no estado de Mato Grosso.

Logo na sequência aparecem a Fazenda Verde Agropastoril Jatobasso e a Fazenda Uirapuru. A primeira, tem uma produção certificada de mais de 30 mil toneladas espalhadas em 7.500 hectares. Já a segunda, produz mais de 29 mil toneladas de grãos com selo RTRS em 6.404 hectares.

“A expectativa é de que 2021 o volume de produção de soja certificada continue crescendo na ordem de 15% a 20%, impulsionando boas práticas agrícolas e o desejo dos produtores reduziram riscos e ganharem eficiência produtiva”, reforça Cid Sanches.

A obtenção do selo RTRS é a garantia do compromisso de diversas empresas com maior sustentabilidade, transparência e rastreabilidade em toda a cadeia de valor da soja.

Em função dos resultados alcançados, e como parte do compromisso por promover cadeias de suprimento cada vez mais sustentáveis, a Associação focaliza seus esforços em continuar consolidando a tendência crescente da produção, comércio e consumo de soja economicamente viável, socialmente equitativa e ambientalmente adequada através do diálogo entre os produtores, as organizações da sociedade civil e a indústria.

 

Sobre a RTRS

A nossa missão na Associação Internacional de Soja Responsável (RTRS) é promover o aumento da produção, do comércio e do uso de soja responsável por meio de cooperação com os atores participantes ou relevantes da cadeia de valor da soja, da produção ao consumo, em um diálogo aberto com múltiplas partes interessadas (incluindo produtores, fornecedores, fabricantes, varejistas, instituições financeiras, organizações da sociedade civil e outras). É isso que norteia o nosso trabalho e as nossas operações.

A RTRS também define os padrões em matéria de soja responsável e cadeia de custódia. Mais especificamente, o sistema do Padrão RTRS de Produção de Soja Responsável garante que a soja RTRS atenda aos mais altos critérios ambientais (incluindo garantias de desmatamento e conversão zero verificadas por terceiros) e cumpra uma ampla gama de requisitos sociais e trabalhistas. Baseia-se em cinco princípios: Cumprimento da Legislação e Boas Práticas de Negócios; Condições de Trabalho Responsáveis; Relações Responsáveis com a Comunidade; Responsabilidade Ambiental; e Boas Práticas Agrícolas.

Desde que aderiu ao Pacto Global da ONU em 2014, em consonância e com base nas afirmações acima e todas as ações e iniciativas relacionadas e realizadas pela Associação, a RTRS está plenamente comprometida com suas iniciativas de sustentabilidade e seus 10 princípios, agrupados em 4 áreas: Direitos Humanos, Práticas Trabalhistas, Meio Ambiente e Corrupção. Continuaremos a promover esses princípios em nossas operações e na cadeia de valor da soja e do milho.

Postado por Alfapress Comunicações | 0 comentários
Marcadores: RTRS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando...